Cada Dia, o Ano Todo!
Agosto
D S T Q Q S S
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031 
BUSCA:
  

Menu Principal

INICIANTES
    Evangelismo
    Principiantes
    Discipulado
    Discipulador
    Introdução à Bíblia
    Apostilas
AVANÇADO
    Homilética
    Hermenêutica
    Religiões
    Seitas
    Doutrinas
    História da Igreja
VIDA CRISTÃ
    Aos Cristãos em Geral
    Aconselhamento
    Minhas Pérolas
    Finanças
BÍBLIA
    As Escrituras
    VT - Diversos
    VT - História
    VT - Livros
    VT - Sinopse
    NT - Diversos
    NT - História
    NT - Livros
    NT - Sinopse
    Mapas
    Cronologias
    Provérbios
    Salmos
    Panorâmica
    Bíblia Toda em Um Ano
    Esquemas Mensais
ELES / ELAS
    Casais
    Homens
    Líderes
    Liderança
    Maná da Segunda
    Mulheres
    Dicas
    Receitas
EBD / EBF
MISSÕES
    Missões
    Missionários
    Diversos
DIVERSOS
    Hoje
    De a A a Z
    Folhetos
    Reflexões
    Eventos
    Dias Especiais
    Ocasiões
    Publicações

08 04 Ser Pai ! oc
07 09 Constituinte oc
07 09 Dever de consci~ oc
* 07 20 Homem na Lua oc
08 07 Elo entre gerações oc he
Dentro.Fora da IGREJA oc
07 10* Dia da Pizza oc
08 03 * COMEMORAÇÕES oc
07 de abril Hist oc
08 01 sobre o SELO ...oc
é FERIADO oc
dia dos avós
 



...Combate às bactérias dks

Nutrição

Colaboração: Jussara Dutra Izac

http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal78/nutricao_alimentos.aspx

               Saiba como manter as bactérias longe da cozinha

Pesquisadoras da UnB   ( Universidade de Brasília )  
mostram como evitar que bactérias se multipliquem nos alimentos.

Um verdadeiro criadouro de fungos e bactérias pode ter se instalado na cozinha de sua casa. Mantê-la completamente livre dos microrganismos é humanamente impossível – segundo estudiosos, nem mesmo a sala de cirurgia de um hospital confiável consegue ficar totalmente limpa. Mas os riscos de contrair uma infecção por bactérias que causam doenças podem ser reduzidos em até 99% se algumas práticas cotidianas passarem a ser adotadas. As dicas são das pesquisadoras do Laboratório de Higiene de Alimentos do Departamento de Nutrição da Universidade de Brasília (UnB)  Yolanda Silva de Oliveira, Maria Cláudia da Silva  e Adriana Pereira de Lima.

Para as especialistas, é importante as donas de casa perceberem que higiene de alimentos não se reduz apenas à limpeza, mas a todos os processos que evitam a contaminação da comida. “Isso inclui o momento da compra, o cuidado com os atos de congelamento e cozimento, e claro, a limpeza em si”, diz a professora Yolanda, que chefia o laboratório. Principais dicas  reunidas nos tópicos abaixo:
 

LIMPEZA – Esqueça os panos de secar a pia. De preferência, aposente até o pano de prato. Esses tecidos apresentam condições ideais para as bactérias se proliferarem, principalmente quando ficam úmidos por muito tempo. As pesquisadoras da UnB sugerem em substituição a ele, o uso do rodo de pia, de toalhas de papel para secar as mãos durante o preparo de alimentos e do escorredor de pratos.
Obs: se usar o pano de prato para enxugar a louça
e lavar em seguida,com Cândida
,
                             -  terá sempre um pano limpo à disposição 
Madeira  é outro material que deve ser abolido da cozinha,  tem de ser substituída pelo plástico branco ( mantido sempre limpo deixando-se de molho em água sanitária periodicamente) . Portanto, a velha colher de pau, a tábua de carne e até o rolo de macarrão precisam ser trocados. “A madeira acumula matéria orgânica e absorve umidade, o que é favorável para a multiplicação das bactérias. Além disso, não há como desinfetar objetos a base de madeira porque a umidade fica retida neles”, explica Adriana.

Ao lavar a louça, lembre-se que o detergente apenas desengordura o utensílio, mas não mata os germes. A morte dos microrganismos se dá com água recém fervida ou com o uso de cloro, encontrado nas águas sanitárias. Não se esqueça de olhar no rótulo do produto a quantidade recomendada para essa limpeza. “Em casa,  esses cuidados são indicados apenas em situações especiais, como por exemplo com criança pequena, idoso ou doente”, defende.
-  o ideal é lavar primeiro os copos, passar água para que a sujeira saia dos objetos, passar toalha de papel nos objetos muito engordurados...só então passar a esponja com detergente _  
para que a gordura não passe para a esponja,

 -  que esta última deve ser trocada em média depois de uma semana de uso.
                   Obs : secar a esponja no microondas  mata os germens
                             Deixe-a em lugar arejado.
 
PREPARO –
  as mãos de quem prepara os alimentos devem estar sempre limpas.
_, além de lavá-las constantemente,  evite usar a lixeira de pia . Fatalmente, você vai precisar abrir a tampa e contaminará as mãos ao encostar na sujeira:  opte sempre pelos lixos de pedal na cozinha _ ou deixe o lixito destampado enquanto prepara os alimentos, não acumulando lixo de uma refeição à outra: use pequenas sacolas e troque-as sempre que tiver material que se deteriora ( restos que apodrecem )

     
Evite também os ovos crus
:  Alguns deles apresentam na gema a bactéria Salmonella, que provoca infecção intestinal. Como não é possível saber qual possui esse microrganismo, não dá para se arriscar ao fazer maionese caseira ou ovo frito com gema mole. Para se prevenir, também esqueça aquele glacê preparado com a clara batida – existem casos de infecções provocadas por esses merengues em bolos de casamento e até de festa infantil.

      
Não use vinagre para desinfetar frutas e verduras, o produto não é recomendado para essa função. A melhor opção é a água sanitária:

1- à risca as instruções sobre a quantidade de água a ser aplicada, ou sua família pode correr o risco de sofrer uma intoxicação.
2- Fique atento, existem vários tipos desse produto a venda no supermercado e nem todos podem ser usados em alimentos.
É preciso ler o rótulo antes
para saber qual é o indicado.
importante:  não servir carnes mal-passadas. Elas podem conter bactérias. No caso da carne de frango, ficar atento, pois eles só ficam prontos quando começam a soltar do osso. Em geral, o ideal é comer o alimento preparado na hora. Mas, caso a sua família não almoce reunida, evite deixar a comida por muito tempo em cima do fogão. “Se a refeição ficar muito tempo à temperatura ambiente, pode haver a multiplicação de bactérias que estragam o alimento ou causam uma infecção gastrointestinal.
”, ensina Maria Claudia. Por esse mesmo motivo, não se deve comer o alimento frio ou morno.
Ex:  arroz retirado da geladeira deve ser completamente aquecido, praticamente até ferver.

GELADEIRA
– Ela diz que quando a comida fica morna, é preciso reaquecer ou então guardar em potes de vidro  na geladeira. Não é preciso esperar a comida esfriar para guardar na geladeira. “Isso era feito antigamente porque as geladeiras não davam conta de refrigerar o pote quente. Hoje, não é mais necessário e ainda é mais recomendado guardar a comida ainda quente, que não dá tempo para as
bactérias ficarem na temperatura ambiente”   As vasilhas de comida que vão à geladeira não podem estar muito cheias, nem completamente cobertas
: isso evita que o alimento demore a esfriar e que as bactérias cresçam. E, deixe a preguiça de lado: não guarde a panela de comida na geladeira porque ela não veda direito e é difícil refrigerar o que favorece a proliferação das bactérias. 

    Na geladeira, os alimentos devem ser guardados na posição correta.
i)    Produtos
prontos para  consumo
:    nas prateleiras de cima;
ii)   os que   precisam ser cozidos antes do consumo:  prateleiras do meio
;
iii)  os alimentos crus (carnes ,frango)
em  descongelamento : prateleira de baixo
. “Isso serve para que um alimento que esteja descongelando  não possa contaminar aquele pronto para consumo”, esclarece Yolanda.

As vasilhas de comida que vão à geladeira não podem estar muito cheias, nem completamente cobertas : isso evita que o alimento demore a esfriar e que as bactérias cresçam. E, deixe a preguiça de lado: não guarde a panela de comida na geladeira porque ela não veda direito e é difícil refrigerar.
_ Também GUARDE LOGO  os produtos perecíveis após chegar do supermercado.
 
DESCONGELAMENTO
– O descongelamento da comida (frango, carne etc.) deve ser feito dentro da geladeira. Evite deixar à temperatura ambiente durante toda a noite ou então descongelar na água. Em situações de emergência, é preferível preparar o alimento congelado, tomando cuidado para que ele seja totalmente aquecido, até mesmo o centro, que costuma demorar mais.
        Obs:  descongelamento rápido pode se feito  no microondas

COMPRA – Na hora das compras, outras dicas são importantes. Ao adquirir um produto, é indispensável prestar atenção na sua procedência.
i)  
Leia sempre os rótulos: o que contém,  data de validade
e confira os carimbos de aprovação dados pela Vigilância Sanitária ou outro orgão fiscalizador como Departamento de Defesa Agropecuária e Inspeção de Produtos de Origem Vegetal e Animal (Dipova), Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa) ou Serviço de Inspeção Federal (SIF) .
                        Exemplo: nas carnes, o carimbo é roxo.
ii) 
Evite as latas que estejam amassadas, estufadas ou enferrujadas
. Já as comidas refrigeradas no supermercado devem ficar numa temperatura abaixo de 5ºC. Quanto aos congelados, o ideal é que eles estejam completamente duros e as caixas não podem estar molhadas ou deformadas.

“Quando você encostar no produto, não pode sentir nada mole e também não pode ter sangue envolta das carnes, pois significa que em algum momento ela já foi descongelada e isso cria condições de temperatura para as bactérias se multiplicarem”, afirma Adriana.
iii) 
Alimentos perecíveis devem ser os últimos a entrar no carrinho
. Isso vale para frangos, queijos, congelados e refrigerados em geral. Aquelas que costumam passar no supermercado antes de buscar os filhos na escola ou praticar alguma outra atividade, devem ter sempre no carro um isopor com gelo ou uma bolsa térmica para conservar a temperatura dos alimentos. Essa é a maneira de evitar que os microrganismos se desenvolvam à temperatura ambiente.

Fonte e contato:
Maria Claudia da Silva, Yolanda de Oliveira e Adriana de Lima pelo telefone:
 (61) 3307.2547 ou pelos e-mails  
mariaclaudia@unb.br,
                                                          
yolanda@unb.br ou nut@unb.br.

(Texto produzido pela Assessoria de Comunicação Social da UnB)

Imagem: Roger McLassus - www. commons.wikimedia.org
ATENÇÃO: A responsabilidade deste artigo é exclusiva de seu respectivo autor (fonte ou fontes).

 

 







Pérolas.Preciosas - Copyright © 2005-2018 - Todos os direitos reservados ao autor
Permitido imprimir, tirar cópias e colocar em boletins informativos, desde que citando a fonte.