Cada Dia, o Ano Todo!
Junho
D S T Q Q S S
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
BUSCA:
  

Menu Principal

INICIANTES
    Evangelismo
    Principiantes
    Discipulado
    Discipulador
    Introdução à Bíblia
    Apostilas
AVANÇADO
    Homilética
    Hermenêutica
    Religiões
    Seitas
    Doutrinas
    História da Igreja
VIDA CRISTÃ
    Aos Cristãos em Geral
    Aconselhamento
    Minhas Pérolas
    Finanças
BÍBLIA
    As Escrituras
    VT - Diversos
    VT - História
    VT - Livros
    VT - Sinopse
    NT - Diversos
    NT - História
    NT - Livros
    NT - Sinopse
    Mapas
    Cronologias
    Provérbios
    Salmos
    Panorâmica
    Bíblia Toda em Um Ano
    Esquemas Mensais
ELES / ELAS
    Casais
    Homens
    Líderes
    Liderança
    Maná da Segunda
    Mulheres
    Dicas
    Receitas
EBD / EBF
MISSÕES
    Missões
    Missionários
    Diversos
DIVERSOS
    Hoje
    De a A a Z
    Folhetos
    Reflexões
    Eventos
    Dias Especiais
    Ocasiões
    Publicações

12 de junho Dia dos Namorados *oc
06 19 Corpo de Cristo oc
FOME de AMOR oc cs
05 11 E o pai com ISSO ? oc he
05 10 mãe requer PAI oc he
05 09 QUEM CUIDA ??? oc
Dentro.Fora da IGREJA oc
06 12 'paixonite' ACABA oc rfx
06 20 O que é CORPUS CHRISTI ? oc
05 08 ...Percepções diferentes* oc
VerddS : importa saber oc cs
07 de abril Hist oc
05.23 > Você é Responsável ! oc
é FERIADO oc
 



16... Introdução ao Livro de Jó

Livro de Jó: Autor desconhecido, ocasião incerta.

*A suposição mais amplamente aceita é a de ter sido registro de relato ouvido por Moisés, no tempo em que viveu em Mídia, trazendo-a consigo para Israel. Há outras...
*Época muito antiga: tempo dos Patriarcas, pois Jó era o sacerdote da família.
*Conteúdo e valor - nenhum dos personagens era israelita.*Os amigos de Jó representam os argumentos da teologia vigente, acham que sofrimento é castigo do pecado:confundem o conceito de castigo com o de conseqüência de nossas escolhas; mas o livro de Jó amplia a perspectiva do sofrimento revelando o que ocorre nas regiões celestiais, Ef 6
*Contexto espiritual (sigla CE)  no qual existe esta Terra: império das trevas,
                                    1 Jo 5.19, Jo 16.33, Cl 1.13
*, tem reação natural: acusado, se defende.
       É exemplo ao não aceitar o juízo dos homens. mas submete-se a Deus.
*Situação universal e atemporal:
       *P
erplexidade ante sofrimento inesperado, ”injusto”
       * A incompreensão dos circundantes e seus ' achômetros'
*Pontos de contato com outros livros, importante argumento para inspiração divina: Jó 3 com Jr 20.14-18; 15.35 com Is 59.4, apenas como exemplo; há outros. Todo o VT aponta para o Messias: Servo do Senhor, Jó 16.10 aponta para Is 50.6; Jó 30.9 aponta para Is 53.3; Jó 7.17 aponta para Sl 8.4; Jó 5.13 aponta para 1 Co 3.19

A Linguagem é poética, o estilo é típicamente oriental.
*Mensagem: Revela o contexto espiritual no qual vive o homem: há opositor espiritual que se apresenta perante Deus, mesmo havendo abismo entre eles Lc 16. Acusa os justos, pode atormentar, mas sob a restrição do Senhor. O NT esclarece muito a respeito dessa situação mas, mesmo assim, somos exortados a “não julgar antes do tempo...” pois há muita coisa que nossos sentidos não percebem e que não temos capacidade para compreendermos.
*A permissão divina ao ataque do diabo, sempre traz reação: - “Como pode?“ - mas revela que até mesmo ele está sujeito à soberania de Deus, que guarda os Seus: “cerca-o como a uma sebe” [era costume cercar plantações com espinhos para serem inatacadas] o anjo do SR acampa-se Sl 91. Sem Deus, somos vulneráveis. Até os Seus não estão isentos dos ataques malignos. Dizem que a brecha que deu direito ao ataque do inimigo foi “o que temi me sobreveio“. Talvez, por isso, haja tantas advertências: “Não temas”...# Ouvi dizer que há 365 similares na Bíblia.
*Comenta-se que Deus permitiu essa situação para nosso ensino: fez de Jó uma parábola viva como Oséias, e outros profetas... Isaías, Ezequiel... Suposições à parte, fato é que Deus o permitiu e tem sido meio de instrução e consolo para muitos.
*Ensinos: - ante os que sofrem, é melhor calar, 2.13 e 13.5
               - argumentos óbvios irritam e geram auto defesa
               - em amargura, fala-se o que não convém
               -  argumentos humanos não mudam ninguém: só o atuar de Deus alcança o âmago do homem, e resulta em transformação, arrependimento
*Iimportância da intercessão, independente dos favores pessoais obtidos por Deus
               - obediência à Palavra de Deus pode trazer o livramento desejado
               - é Deus quem “vira o cativeiro” ou tem autoridade e poder para nos livrar dos ataques malignos, não as declarações, jejuns, campanhas de Jó.

Ensina o que não se deve fazer:
               - chutar o pau da barraca = mulher de Jó
               - não falar monte de chavões aos que sofrem
               - não ter atitude legalista e acusadora
               - não se achar o dono da verdade
               - não ser como os amigos de Jó: assentados em seus conhecimentos limitados, arrotando justiça própria, estendendo o dedo em acusações supostas.
                      # Ah! se não fossem as misericórdias de Deus, Lm 3.23
*
Interessante notar que Deus não Se preocupa em responder às indagações de Jó ou rebater os argumentos “vesgos” de seus amigos. Ele eleva o olhar do homem para o que realmente importa e fará diferença. Deus requer obediência independente de bênçãos concedidas.Obediência flue de corações que vêem a Deus, como Hagar, Gn 16.

Situação de perda revela... quem somos:- se te mostras fraco na angústia...Pv 24.10
                                 ...  quem são os que nos rodeiam
                                 ...  afeta relacionamentos familiares
*Solidariedade se mostra estando junto, calados. 'Silêncio tecido de simpatia e comunhão foi para Jó um bálsamo“... anulado por palavras vãs.
Quando Deus está no lugar devido, todas as coisas vão aos seus devidos lugares.#







Pérolas.Preciosas - Copyright © 2005-2018 - Todos os direitos reservados ao autor
Permitido imprimir, tirar cópias e colocar em boletins informativos, desde que citando a fonte.