Cada Dia, o Ano Todo!
Junho
D S T Q Q S S
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
BUSCA:
  

Menu Principal

INICIANTES
    Evangelismo
    Principiantes
    Discipulado
    Discipulador
    Introdução à Bíblia
    Apostilas
AVANÇADO
    Homilética
    Hermenêutica
    Religiões
    Seitas
    Doutrinas
    História da Igreja
VIDA CRISTÃ
    Aos Cristãos em Geral
    Aconselhamento
    Minhas Pérolas
    Finanças
BÍBLIA
    As Escrituras
    VT - Diversos
    VT - História
    VT - Livros
    VT - Sinopse
    NT - Diversos
    NT - História
    NT - Livros
    NT - Sinopse
    Mapas
    Cronologias
    Provérbios
    Salmos
    Panorâmica
    Bíblia Toda em Um Ano
    Esquemas Mensais
ELES / ELAS
    Casais
    Homens
    Líderes
    Liderança
    Maná da Segunda
    Mulheres
    Dicas
    Receitas
EBD / EBF
MISSÕES
    Missões
    Missionários
    Diversos
DIVERSOS
    Hoje
    De a A a Z
    Folhetos
    Reflexões
    Eventos
    Dias Especiais
    Ocasiões
    Publicações

12 de junho Dia dos Namorados *oc
06 19 Corpo de Cristo oc
FOME de AMOR oc cs
Dentro.Fora da IGREJA oc
06 12 'paixonite' ACABA oc rfx
06 20 O que é CORPUS CHRISTI ? oc
VerddS : importa saber oc cs
07 de abril Hist oc
é FERIADO oc
 



12...Macabeus ( o livro) hist vt > Rv

Período Interbíblico _   Macabeus ( Vale)

 

       A importância dos livros apócrifos na Bíblia é terem preservado alguns livros históricos, de modo acessível aos cristãos, possibilitando informações adicionais, especialmente importantes como no caso de Macabeus, cujo relato nos reporta ao período interbíblico

*A revelação de Deus não é direcionada primordialmente a nos dar informes históricos).      

       Extr.  Bíblia Sagrada,  Ed  Ave Maria, 47a. edição, (monges de Maredsous)  

 

      O LIVRO

1 Macabeus começa dando um resumo dos acontecimentos históricos,  ligando o fim do domínio medo-persa sob Alexandre, o Grande, até o
                 
 Império Grego nos dias de Antíoco Epifânes. 1Mc 1.1-11
Conta como... 
helenização dos costumes faz judeus se afastarem do Senhor. 1Mc 1.12-15,16-25

> Epifanes saqueou o Templo, matou muitos judeus na volta de sua investida vitoriosa 
            _   contra o 
  Egito
Dois anos depois: Jerusalém, impiedosamente tomada por oficial de Epifanes envia- do a cobrar os impostos(1Mc 1.29-37) é abandonada pelos judeus,  deixando-a nas mãos  dos estrangeiros, gentios. 1 Mc 1.38-40

> A ordem do édito real de renegarem seus costumes gera RESISTÊNCIA por parte de
apenas alguns judeus fiéis (1Mc 1.41-53)  cruelmente tratados, 1Mc 1.54-64 

·       A revolta de Matatias, habitante de Modin (2.1-14) motiva muitos a fugir para as

montanhas, como forma de rejeitar a imposição do rei. 1 Mc 2.15-
Mas a represália dos sírios foi exterminadora, pois os judeus não resistiram aos seus ataques, por ser dia de sábado.   1 Mc 2.31-38

>Matatias conclama á resistência armada, mesmo no sábado, para não serem totalmente dizimados da face da terra. 1 Mc 2.39-41  e .42-4 
a Matatias junta-se exército de valentes assideus(?)além de outros fiéis à Lei; atacam e massacram os infiéis, derrotando os sírios, implantando novamente a Lei
Matatias morre, após ter incitado seus filhos a continuarem com a resistência, lembrando exemplos de seus antepassados. 2.49-69 

Judas, Macabeu(=martelo)prevalece sobre toda a nação. 3.1-9

Primeira represália a Judas, 3.10-16, 23-26   
                                                              -   
derrotada,
pois ele confiou no Senhor 3.18-2
#
 Antíoco prepara a revanche 3. 27-41

·       >  Judas também se prepara para resistir:

·       busca e clama ao Senhor _  3.42-54

·       organiza o exército cf a Lei _ 3.55-60

·       vence em Emaús, por providencial estratégia_ 4.1-25

No ano seguinte:Lísias, general de Antíoco, ataca com exército poderoso- 4.26-29

·       Judas, ora ao Senhor é vitorioso _ 4.30-35

·       Lísias, derrotado,  retorna a Antioquia para preparar revanche 4.35b

·       Judas vai a Jerusalém:

·       Clama ao Senhor, ao ver a desolação_4.36-40

·       Organiza combate concomitante _ 4.41 a

·       à purificação do Templo pelos sacerdotes _ 4.41b-51

·       Oferecem sacrifícios cf a Lei, na mesma data em que fôra profando,
                     # tempos atrás.  4.52-55

·       Festejam por oito dias_ 4.56-58

·       Institui-se o feriado nacional_ 4.59

·       Fazem grossas muralhas de proteção-4.60-61; Cap 5:  

·       Judas acaba com vizinhos hostis que queriam exterminar os judeus

·        

·       Epifanes, derrotado na Pérsia, morre na Babilônia, em 149aC_ 6.1-16

·       amargurado pela derrota de Lísias, achando que seus infortúnios são castigo pelo modo como tratou os judeus.

·       Antes de morrer, Epifanes constitui regente o seu amigo Filipe, a quem incumbe de educar o Herdeiro real (6.14) mas Lísias, na Siria, ao saber da morte do rei, entroniza  EUPÄTOR< Antíoco V : filho de Epifanes e  tutelado de Lísias _ 6.17

·       Judas, ataca os que o atacam_ que vão reclamar ao rei_ 6.18-27

·       Eupátor faz coligações e sobe contra Judas _ 6.31-41

                  ( há interessantes detalhes sobre a batalha)

·       Cita bravura desesperada e inútil  de Eleazar_ 6.43-46

·       Judas retira-se ao ver a supremacia da Síria _ 6.47

·       Lísias, o general da guerra, sitia a Jerusalém_ 6.48-52

·       A resistência está fraca pela fome e dispersão-6.53-54

   Ocorre providência de Deus:  6.55-56

·       Lísias retira-se para defender o trono da Síria ameaçado por Filipe

·       faz tratado de paz com os judeus_ 6.57-60

·       mas não o honra (ordena destruição da muralha)  _ 6.61-62   

·       De volta a Antioquia, recupera-a à força, depõe Filipe.   6.63

 

* Demétrio, eco do passado, surge e mata Lísias _ 7.1-4

 

(Demétrio I Sóter, filho de SeleucoIV Filopator, estava em Roma,como refém quando seu pai morreu. Epifanes, seu tio, assume o trono e o deixa a seu filho AntíocoV Eupátor citado no cap 6 _ nota de rodapé da  Bíblia Ave Maria)

 

·       Alcimo, com traidores e ímpios, acusam Judas ante o novo rei-7.5-7

·       Com Báquides comandando grande exército,sobe a Jerusalém v8-9

·       Fala de paz,toma o poder à traição,1uta para se impor-7.10-22

·       Judas foge e resiste com guerrihas _ ­ 7.23-24

 

·       Alcimo, de novo recorre ao rei _ 7.25

·       Nicanor é enviado com ordem de exterminar os judeus_ 7.26-27 

·       Chega com falsa palavras de paz,mas é descoberto 7.28-31

·       Vence na batalha, afronta sacerdotes que vêm pedir paz_

·       Judas e os sacerdotes clama ao Senhor_ 7.32-35/ 36-42

·       Nicanor morre, Judá é vitorioso: há um tempo de paz.  7.43-50

·       Judas ouve a fama dos romanos_ 8.1-16

·       Eupolemo é enviado a fazer aliança com os romanos_ 8.17-22

                     ( cópia do acordo de paz - 8.23-32)

* Demétrio envia de novo Alcimo com exército sob Báquides. _ 9.1-17

 

·       Judas é morto, há tempo de opressão e crueldades _ 7.18-22/ 23-27

·       Jônatas, seu irmão, o sucede (9.28-31)  _ Báquides sobe contra ele_ 9.32-34

·       João, irmão de Jonatas, morto à traição, é vingado_9.35-42

·       Báquides ataca e prevalece_ 9.43-53

·       Alcimo morre por intervenção do Senhor _ 9.54-56

·       Báquides se retira, e há paz por dois anos (9.57) mas instigado por judeus maus, sobe contra a Judéia. Afinal, retira-se para nunca mais voltar.
            # Há tempo de paz. 9.58-72

·       Jônatas julga na Judéia. 9.73

 

·       Alexandre Bala, suposto filho de Epifanes, instigado por  inimigos de Demétrio, reivindica o trono em 152aC    (ano 160 dos Selêucidas _dinastia da Síria)

·         Jônatas é bajulado pelos dois reis oponentes:

·       Demétrio_ 10.2b-14, (ofertas em demasia _10.22-45)

·       Alexandre Bala ou Epifanes_ 10.15-20, 46-47

     Festa dos Tabernáculos_ 10.21

 

Lutam:  Alexandre versus Demétrio, que é morto _ 10.48-50

·       Casa com filha do rei do Egito, Cleópatra_ 10.51-57

·       Honra a Jônatas, fazendo calar seus acusadores 10.69-66

                    # Demétrio filho, volta de Creta_ 10. 67-68

·       Alexandre parte para Antioquia (10.68b) _ Envia Apolônio contra Jônatas _ 10.69,

·       Chama Jônatas à luta, 10.70-73

·       Simâo, irmão de Jônatas, traz reforços (10.74b) dizimam o inimigo, 10.75-86

Alexandre honra a Jônatas _ 10. 88-89

 

Alexandre é traído e invadido pelo rei do Egito, seu sogro _ 11.1-5, 8

·       Jônatas lhe é solidário_ 11.6-7

·       Fôra para a Cilícia sufocar revolta (11.14)

·       Mas retorna a Antioquia, onde é derrotado por Ptolomeu

·       Procura abrigo na Arábia, mas é morto _ 11. 15-17

Ptolomeu sobe do Egito contra o genro 11.1

·       Promete Cleópatra a Demétrio_ 11.9

·       Mas morre três dias depois de Alexandre. 11.18

                                   ( suas guarnições são massacradas)

Demétrio sobe ao trono da Síria em 167aC  11.19

·       sabendo que Jônatas pretende tomar Jerusalém, 11.20-21

·       Convoca-o e faz tratado de paz, honrando-o 11. 21-29

               (termos da carta do tratado_ 11.32-37)

·       Dispensou seu exército e foi atacado... 11.38-40

·       Promete tirar as guarnições da Judéia, 11.41-42                

·       Pede ajuda a Jônatas, que o livra _ 11.43-51

·       Vitória gloriosa dos judeus _ 11.51

·       O trono é conservado e volta a paz_ 11.52

·       Falta à palavra com Jônatas_ 11.53

Antíoco, por Trifon, reúne o exército desertor de Demétrio-11.54-56

Antíoco VI é elevado ao trono em Antioquia  11.54

·       Confirma o sumo sacerdócio a Jônatas _ 11.57-58

·       Nomeia Simão,irmão de Jônatas, governador da região v59

·       Jônatas vitorioso em várias campanhas_ 11.60-74

                        ( desbarata generais de Demétrio_ 11.63,74)

·       Jônatas confirma e renova amizade com Roma_ 12.1

·       Manda carta aos espartanos; teor da carta: 12.12.5-18

  ( teor da carta anterior: 12.20-23)

·       Nova investida contra generais de Demétrio_ 12.24-34

  ( conta com ajuda de Simão_ 12.33-34)

·       Faz obras de reconstrução_ 12.35-37

   ( Conta com ajuda de Simão_ 12.38)

·       É traído ( e preso) por Trifon _ 12.39-49

  ( revanche dos judeus_ 12.50-52)

           Sem liderança, o povo é alvo de opressão dos povos vizinhos_12.53-54

·       Simão, irmão de Jônatas,  assume a liderança_ 13.1-10

·       ( Jônatas filho de Absalão em Jope_13.11)

·       Trifon investe novamente_ usa da falsidade e mata Jônatas_ 13.12-23

·       Simão enterra Jônatas, faz monumento ao túmulo da família_ 13.27-30

 

·       Trifon assassina Antíoco e reina em seu lugar_ 13.31

·       Simão restaura o país e envia mensageiros a Demétrio_ 13.33-35

·       Teor da carta de paz de Demétrio_ 13.37-40

·       Simão começa a reinar no ano de 170 dos selêucidas( 140aC) 13.41

·       Reconquista Gazara e Jerusalém_ 13.43-48,  49-54

                      

                       *Demétrio é preso pelo rei da Medo-pérsia_ 14.1-3

 

·       Simão governa pacifica e prósperamente_ 14.4-15

·       Renovadas amizade e aliança com Roma e Esparta_14.16-19

  ( teor da carta dos espartanos_ 14.20-23)

·       Numênio leva ouro para confirmar aliança c/Roma_ 14.14

·       Homenagem do povo a Simão=placa de bronze_ 14.25-26

      ( teor da inscrição placa_ 14.28-46) 14.47-48

·       Antíoco VII, filho de Demétrio,declara-se amigo de Simão _ 15.1

      ( teor da carta de Antíoco_  15.2-9)

·       Entra em seu país; Trifon foge para Dora _ 15.10-14

·       Numênio, nessa época, volta de Roma trazendo cartas de recomendação.

                                 (teor da carta_ 15.16-21)enviada a vários reis..)v22-23

                                                   uma cópia fica com Simão_ 15.24

·       AntíocoVII sitia impiedosamente Dora por causa de Trifon _ 15.25

  Simão     envia reforços mas Antíoco o hostiliza _ 15.26/ 27-31

·       recebe o enviado do rei, Atenóbio _ 15.32

·       Explica-lhe detalhes da situação_ 15.32-35/ 36-37

·       Atenóbio volta a Antíoco/ Trifon foge para Ortósia

·       Antíoco _ envia Cendebeu que ataca a Judéia _ 15.38-39, 40-41

                              _ vai ao encalço de Trifon_ 15.39c

 

·       Simão   _avisado, nomeia seus filhos comandantes da defesa- 16.1-3

                 _ João destaca-se na luta, vence Cebedeu_ 16.4-10

                                     (Judas é ferido. _ 16.9)

o       Ptolomeu, filho de Abub(?) prepara cilada a Simão _ 16.11-16 a

                                       _ mata Simão e dois de seus filhos _ 16.16b

                                       _  faz-se  dono da situação, manda matar João_ 16.18-20

·       João Hircano_ filho de Simão, avisado, mata os que vêm matá-lo_

                                                        v21-22

_ “os demais feitos de João Hircano acham-se registrados  nos anais de seu pontificado” (onde?)

16.23-24

Assim termina o livro 1 Macabeus.

 

 2 Macabeus _  Tem estilo completamente diferente do primeiro. 

 

Cap 1 ___  Carta aos judeus no Egito, ano 188 dos Selêucidas  1.1-10

·       Refere-se a acontecimentos do ano 169 dos Selêucidas, *143aC

·       Conclama a que se comemore a Cenopégia_ “festa comemorativa da purificação do Templo (1Mc 4.56) pela qual os judeus que viviam no estrangeiro se separavam dos helenizantes”*

1.11-17 ___ Carta a Aristóbulo e judeus no Egito.  (judeu, filósofo, viveu na corte de Ptolomeu VI)* nota de rodapé da Bíblia A ve Maria

  1.11-17 _     Na época em que Judas governava, um livramento do ímpio:

                     Narra episódio sobre Antíoco (qual?) soterrado num templo pagão.

 

1.18- 2.18 ___Assuntos: o fogo sagrado, comemoração da Cenopégia

·       fogo do altar: escondido ao serem levados em cativeiro 1.19-21

                 recuperado na volta do cativeiro, sob Neemias

·       Neemias _ usa-o sobre o sacrifício,  o fogo continuou ardendo 1.21b-32/33-36

                   _ O lugar, considerado sagrado, chama-se Neftar, Neftaí

                   _  Cita:_ últimas recomendações de Jeremias _  2.1-7,8)

                                   _  Salomão e Moisés _ 2.9-12)

            _ Fez biblioteca com relatos históricos _ 2.12

                (exemplo imitado por Judas,o governante da época 2.14)

                (documentos estão à disposição dos interessados_ 2.15)

2.16-18                _ Conclama os do Egito a também comemorar a Cenopégia _ 2.16-18

 

2.19-32 _ Prólogo do autor explica que irá fazer resumo dos acontecimentos relatados em pormenores  nos cinco livros de Jasão de Cirene    

            Época_ de Judas Macabeu, resistência contra Epifanes 2.19

 

3.1-3     Onias, sumo sacerdote, faz observar a lei ( tempo de paz)

3.4-40   Simão, nomeado prefeito do Templo

                        1- Delata ao rei riquezas do Templo _3.4-7 a            

·         Heliodoro é enviado a pegara as riquezas do Templo

·         O povo clama ao Senhor

·         Deus intervém: Heliodoro cai=morto ao tentar entrar

·         Onias intercede ao Senhor, Heliodoro é poupado.

·         Heliodoro volta ao rei, testemunhando do Senhor. 

4.1-3               2-Calunia Onias, instiga outros contra o sumosacerdote

                       3-É instigado por Apolonio,governador da Celesíria.4.4

4.5-6  Onias vai ao rei para deter Simão _ 4.5-6

4.7-9  Jasão, irmão de Onias, usurpa-lhe o cargo com ofertas ao rei 

                       1- efeitos do movimento helenizador_ 4.10-20

                            ( episódio com o rei Filometor e Apolônio_4.21-22)

4.23  Menelau, irmão de Simão, enviado ao rei com impostos_ 4.23

                       1- Usurpa o cargo de Jasão, que foge para Amon- 4.26     

                       2-Não paga os impostos _ 4.27-29

                      3- Convence a Andrônico a matar Onias _ 4.34

                             (Andrônico é morto pelo rei _ 4.38)

                      4- Concorda com roubo de Lisímaco _ 4.39-40

     ( Lisímaco é morto em sublevação do povo_ 41-42) 

                      5- Menelau conserva o cargo, apesar de corrupto_ 4.43-50

5.1-10 Jasão tenta, em vão, recuperar o cargo _ 

                         (Morre em terra estranha, sózinho_ 5.10b)

5.11 AntíocoIV Epifanes, irado com a incursão de Jasão,

                        1-  massacra os judeus _ 5.11-14

                        2-  saqueia o Templo _ 5.15-16

                            (Deus não intervém por causa do pecado do povo helenizado_ 5.17-20)

                       3-   oprime cruelmente os judeus _ 5.21-26

5.27 Judas Macabeu _ fugitivo nas montanhas

 

6.1-11 Movimento helenista, judeus fiéis perseguidos    ( reflexões morais_ 6.12-17)

            6.18-31             Eleazar,com 90 anos, morre mas não renega a Lei

             Cap 7               Mãe e sete filhos atrozmente torturados.

Cap 8   Narra os feitos heróicos de Judas Macabeu

·       Derrota de Nicanor _ 8.8-36

 

Cap 9   Antíoco Epifanes termina seus dias terrívelmente atormentado

 

10.1-8  Judas Macabeu purifica o Templo (decretado feriado anual)

       

10.9-11 Antíoco V Eupátor, nomeia Lisias, chefe do exército, por morte de Ptolomeu Macron _v.12-13

10.14-37 Judas  _  dizima os idumeus _

                         _  derrota Lísias _ 11.1-12

                          _ aceita tratado de paz de Lìsias_ 11.13-15

                                  ( termos do tratado_ 11.16-21)

Cap 11                       ( termos da carta do rei_ 11.22-26

                                  ( termos da carta aos judeus_ 11.27-38

Cap 12           _ Incursões contra vizinhos hostis _ 12.1-37  

                           (caso dos mortos encontrado com ídolos_ 12.38-46)

Cap 13  Judas desbarata Lísias ( nova investida 13.1-2) 9-21

                           ( Menelau é morto_ 13.3-8)

                    _ Novo tratado de paz_ 13.22-26v

       

Cap 14  A intriga do ex- sacerdote Alcimo _ 14.1-11

            Nicanor enviado para matar Judas_ 14.12-14

                   _ Os judeus clamam ao Senhor_ 14.15

                   _ Não combate os judeus, oferce paz_ 14.17-22

                   _ torna-se amigo de Judas _ 14.23-25

                   _ persegue Judas por intriga de Alcimo _ 14.26-36

                              ( morte heróica de Raziz_ 14.37-46)

Cap 15         Nicanor é morto em combate 

             Judas vitorioso por confiar no Senhor _ 15.22-27

                  _ decretado feriado anual: 13 do mês de Adar v35

                   (dia do livramento por Ester _ Et 9.17-32)

15.37   a partir desse dia Jerusalém permaneceu em poder dos hebreus 

Assim termina o livro 2 Macabeus.

      

       É evidente a não inspiração de Deus. O autor não pretende que seja considerado de inspiração divina, pelo contrário, faz questão de afirmar ser ele o autor do livro. 15.39

        O que não impede que este livro seja de grande importância histórica por nos trazer informações sobre acontecimentos do período interbíblico.

*   *   *  







Pérolas.Preciosas - Copyright © 2005-2018 - Todos os direitos reservados ao autor
Permitido imprimir, tirar cópias e colocar em boletins informativos, desde que citando a fonte.