Cada Dia, o Ano Todo!
Julho
D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031    
BUSCA:
  

Menu Principal

INICIANTES
    Evangelismo
    Principiantes
    Discipulado
    Discipulador
    Introdução à Bíblia
    Apostilas
AVANÇADO
    Homilética
    Hermenêutica
    Religiões
    Seitas
    Doutrinas
    História da Igreja
VIDA CRISTÃ
    Aos Cristãos em Geral
    Aconselhamento
    Minhas Pérolas
    Finanças
BÍBLIA
    As Escrituras
    VT - Diversos
    VT - História
    VT - Livros
    VT - Sinopse
    NT - Diversos
    NT - História
    NT - Livros
    NT - Sinopse
    Mapas
    Cronologias
    Provérbios
    Salmos
    Panorâmica
    Bíblia Toda em Um Ano
    Esquemas Mensais
ELES / ELAS
    Casais
    Homens
    Líderes
    Liderança
    Maná da Segunda
    Mulheres
    Dicas
    Receitas
EBD / EBF
MISSÕES
    Missões
    Missionários
    Diversos
DIVERSOS
    Hoje
    De a A a Z
    Folhetos
    Reflexões
    Eventos
    Dias Especiais
    Ocasiões
    Publicações

07 09 Constituinte oc
07 09 Dever de consci~ oc
Dentro.Fora da IGREJA oc
07 10* Dia da Pizza oc
07 de abril Hist oc
é FERIADO oc
 



dia das mães: como começou? oc

Oc 05 05  Como começou?

 

é bom saber a origem de nossos costumes, no caso: o dia das Mães+ algumas reflexões Confira

 

oC  MÃES.   Considerações sobre o Dia das Mães : ver   como começou ?

·        

·       Li que o Dia das Mães surgiu nos Estados Unidos: uma filha saudosa de sua mãe,

falecida,em certa data especial para elas, começou a homenagear todas as mães do lugar onde ela trabalhava (?) dando-lhes uma camélia, flor preferida da mãe dela. 

·       No Brasil, a comemoração do Dia das Mães teve início nos anos 1.948 / 49:  Lembro da primeira homenagem feita na minha escola: todos os alunos foram ao auditório, houve apresentação de uma peça, alguns  versos e cânticos. Todas as mães receberam uma camélia para colocar na lapela, ou no vestido  (usava-se flor como broche)
Depois, foi a vez de lojas e prestadoras de serviço, e mais tarde, as empresas...
- até que  o comércio descobriu nessa data um filão de ouro, e o processo foi invertido: em vez de gastar dinheiro, que cada  filhos homenageasse  sua PRÓPRIA mãe,  COMPRANDO presentes para elas.       

·       Antes, todos os dias era dia de respeitar e honrar pai e mãe, obedecidos com um simples olhar, -  pedindo a bênção antes de dormir(pelo menos)
    -  cumprimentando os avós e beijando a mão   quando vinham em visita.

·        Era um tempo de respeito aos mais velhos, de respeito à instituição da família.    

·         Muitas vezes, as homenagens trazem velada intenção de colocar a mãe num pedestal,
 para que ela assuma as atitudes ideais. Mas fiquei pensado...

 

                    Gente, mãe é apenas uma pessoa, uma mulher!
             Não se costuma considerar mãe como mulher, ela é A MÃE.

 

·        A melhor forma de se homenagear alguém é reconhecer e agradar a pessoa que ela é: a pessoa por trás do papel que assumiu, e desempenha do jeito dela. Não pelo fato de estar enquadrada num certo protótipo de comportamento imposto por certo grupo, ou pela sociedade em geral. Lembrei da frase de um famoso poeta:
                             “Ser mãe é sofrer num paraíso” O que? Ser mãe é ser masoquista?  pessoa que tem prazer no sofrimento? É ser uma aberração psicológica? às favas com essa idéia !
  Além do mais, não foi escrita por uma mulher: era a expressão de um mundo machista, impondo um padrão aceitável de mãe: sofra tudo pelos filhos, e nem ouse reclamar. Tudo bem se foi uma escolha pessoal, expressão do amor mais desinteressado que existe, depois do amor de Deus. Mas, o  reconhecimento precisa vir de cada filho para sua mãe,
                                                - não imposto pelo grupo.
 Alguém dizia:
-“Por favor, não precisa levar flores ao meu túmulo: dêem- me flores enquanto vivo”

 

·       Em outra situação, um filho fala à mãe, que lhe perguntava se tudo o que fizera por ele não fôra demons-tração de amor, ao que o filho disse: - “Mas a senhora se realizou fazendo o que fez.

# Aqui, amigas, uma grande lição: se fizer algo pelos seus esperando gratidão, reconhecimento,  ou seja lá o que for, NÃO FAÇA! Em qualquer situação, a  motivação do nosso agir  deve ser agradar a Deus, e estar bem com nossa consciência. Tudo o que vier, além disso, é lucro. E se não vier nada, pelo menos  não haverá frustração, o que já será um grande alívio. 

·       Às vezes, ALGUNS ficam chocados ao se falar sobre a realidade dos fatos.Para amenizar, “doura-se a pílula” com certa dose de idealismo, constrangendo as mães a aceitar tudo, calada:
                      - nem ouse lembrar os seus de que  é uma pessoa, uma mulher!  

·       Algumas ocasiões, em minha vida, tenho dado voz ao que muitos não ousaram expressar
. Para muitas, é alívio ver que alguém fala a verdade, mesmo que fique na dela.
     Outras, dão sorriso amarelo e dizem: - “ Imagiiineee! Não é bem assim...” 

·       Como cristãs, vivemos para Deus. O padrão de nosso comportamento está na Palavra:
“tudo quanto  fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor, e não aos homens” Cl 3.23  
                          #  Era o moto da nossa união feminina (quando houve)

 

  • Mãe, falo a você, mulher que deu à luz filhos:
    -“Deus ousa, ao confiar Suas criaturas a simples mortaispensei ao me ver com meu filho recém nascido, ao chegar da maternidade. Havia um misto de ternura, responsabilidade e temor:   - “Um ser tão frágil a mim confiado...”

·       Nem sempre fiz o melhor, nem sempre fiz o certo. Mas,
 fiz o melhor que pude, com todas as informações que possuía e outras, que fui atrás para obter.

·       Os dias são longos (e as noites? quando choram, ou estão doentes...)

·        mas os anos voam!” ouvi dizer. 

·       Logo, um pedaço de nós anda por aí, de barba no rosto ou formas de mulher.

-  Pensam que sabem tudo, têm resposta para tudo. Adultos, vão viver a vida deles.

         -  É assim mesmo.  É a vida.  E nós, mulheres que os deram à luz_ como ficamos  ?

*Falando sobre maternidade, uma moça sem filhos achou exagero quando eu disse:
   -“Por uns quinze anos, esqueça sua agenda: viverá em função da agenda deles.
       -   E por toda a vida, rasgue do seu dicionário a palavra “ sossego

 

*A grande questão é:  COMO VIVER TAL REALIDADE, COM ALEGRIA ? 

·        SÓ PELA GRAÇA DE DEUS !    2 Co 12. 9

·       Deus sabe como uma mãe se sente: Is 49.15
- ”pode a mulher se esquecer do filho...? mas ainda que esta se esquecesse, Eu não,,..”  

·       Ainda que pai e mãe desamparem, Deus não,     Sl 27.10

  Muitas vezes, como mães, não podemos contar com ninguém, a não ser Deus.Os maridos fazem a parte deles, do jeito de cada um. Mas, todas as mães já ouviram, em ocasiões de problemas:
                -“O teu filho...” E como doeu! E como nos sentimos sós! Não fosse Deus...
* Ninguém entende bem as mães,

       i) a não ser outra mãe # não conte nada, a ninguém, esse é o nosso segredo!,

      ii) e Deus _  por isso, há textos preciosos para as mães.

·       “A minha graça te basta” foi a resposta de Deus para um espinho na carne.   2Co 12.9

# Lembremos da coroa de espinhos de Jesus : quantos pensamentos passam pela cabeça das mães,  que ferem como espinhos, e não adianta falar: ninguém entende.

            Então, clamemos ao Senhor: há provisão da graça,  ALELUIA ! J

            

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

 

 

 

 

 







Pérolas.Preciosas - Copyright © 2005-2018 - Todos os direitos reservados ao autor
Permitido imprimir, tirar cópias e colocar em boletins informativos, desde que citando a fonte.