Cada Dia, o Ano Todo!
Junho
D S T Q Q S S
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
BUSCA:
  

Menu Principal

INICIANTES
    Evangelismo
    Principiantes
    Discipulado
    Discipulador
    Introdução à Bíblia
    Apostilas
AVANÇADO
    Homilética
    Hermenêutica
    Religiões
    Seitas
    Doutrinas
    História da Igreja
VIDA CRISTÃ
    Aos Cristãos em Geral
    Aconselhamento
    Minhas Pérolas
    Finanças
BÍBLIA
    As Escrituras
    VT - Diversos
    VT - História
    VT - Livros
    VT - Sinopse
    NT - Diversos
    NT - História
    NT - Livros
    NT - Sinopse
    Mapas
    Cronologias
    Provérbios
    Salmos
    Panorâmica
    Bíblia Toda em Um Ano
    Esquemas Mensais
ELES / ELAS
    Casais
    Homens
    Líderes
    Liderança
    Maná da Segunda
    Mulheres
    Dicas
    Receitas
EBD / EBF
MISSÕES
    Missões
    Missionários
    Diversos
DIVERSOS
    Hoje
    De a A a Z
    Folhetos
    Reflexões
    Eventos
    Dias Especiais
    Ocasiões
    Publicações

12 de junho Dia dos Namorados *oc
06 19 Corpo de Cristo oc
FOME de AMOR oc cs
festas JUNINAS oc rfx
Dentro.Fora da IGREJA oc
06 12 'paixonite' ACABA oc rfx
06 20 O que é CORPUS CHRISTI ? oc
VerddS : importa saber oc cs
07 de abril Hist oc
é FERIADO oc
 



1. O tempo não existe oc

Oc calendário        O TEMPO NÃO EXISTE  !  era  os dizeres na capa de uma  revista Seleções
 ( lamento imensamente não tê-la  guardado)  O artigo demonstrava como duas linhas cientiíficas diamentralmente opostas acabavam por demonstrar a tese proposta pela chamada da capa.  Já tentei buscar no arquivo da revista, mas não tive retorno.   

 

     
       O TEMPO, COMO O CONHECEMOS,  SÓ EXISTE NA TERRA :
      
                     NO UNIVERSO, NÃO EXISTE O TEMPO
Deus habita na Eternidade : 
de Eternidade a Eternidade, Tu és Deus’  Sl 90.2
 
O HOMEM NASCE NO TEMPO PARA ESCOLHER ONDE PASSAR A ETERNIDADE

   Confesso que, ao ler Gênesis, muito me intrigava o fato de o TEMPO  aparecer na Terra  apenas no quarto dia da Criação( que, de fato, é restauração da Terra abalada pela queda de uma estrela ( o querubim rebelde)  vi um documentário no Discovery  Channel )  

 

Quanto aos luminares, havia  finalidades específicadas por Deus: 
' 
E disse Deus: haja luminares no firmamento do céu, para fazerem separação entre o dia e a noite;  sejam eles   para sinais ( de orientação: pondo a mão direita na direção do nascer do sol  (leste)  e a esquerda em direção ao poente (oeste) temos à frente o Norte e atrás fica o Sul ) 
                              
para estações ( quatro estações : ciclo de um ano
)

                                       para dias e anos ‘... ( o calendário ) 

Gn 1.15 ... E assim foi... .16 ...; fez também as estrelas *** 

Gn 1.17 E Deus os pôs no firmamento do céu para alumiar a terra,

Gn 1.18 ...para fazer separação entre a luz e as trevas. E viu Deus que isso era bom.

Gn 1.19 E foi a tarde e a manhã, o dia quarto.   Gn 1.14- 19

  ‘ O que fez a  ursa , o Oriom, e as Plêiades, e as recâmaras do sul’ Jó 9.9
        ‘Podes atar as cadeias das Plêiades, ou soltar os  atilhos  do Oriom?’ Jó 38.31

           J   os primeiros navegadores usavam as estrelas como meio de orientação
                                                                               ( ver artigos na web
  ) 

 

   Cultura geral ajuda bastante  a entender melhor a mensagem das Escrituras  

Também o Calendários serve para testemunhar  a vinda de Jesus  que nasceu cerca de 2017 anos atrás: o que todos os jornais do mundo  apregoam a cada dia, mesmo entre povos  não cristãos   
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Segue um artigo extraído de       http://pt.wikipedia.org/wiki/Calend%C3%A1rio

Calendário é um sistema para contagem e agrupamento de dias que visa atender, principalmente, às necessidades civis e religiosas de uma cultura. A palavra deriva do latim calendarium ou livro de registro, que por sua vez derivou de calendae, que indicava o primeiro dia de um mês romano. As unidades principais de agrupamento são o mês e o ano.[1] 
A palavra calendário é usada também para descrever o aparato físico (geralmente de papel) para o uso do sistema (por exemplo, calendário de mesa), e também um conjunto particular de eventos planejados.

Conceitos

A unidade básica para a contagem do tempo é o dia, que corresponde ao período de tempo entre dois eventos equivalentes sucessivos: por exemplo, o intervalo de tempo entre duas ocorrências do nascer do Sol, que corresponde, em média (dia solar médio), a 24 horas.
      O
mês lunar corresponde ao período de tempo entre duas lunações,
                             cujo valor aproximado é de 29,5 dias.
O
ano solar é o período de tempo decorrido para completar um ciclo de estações (primavera, verão, outono e inverno). O ano solar médio tem a duração de aproximadamente 365 dias, 5 horas, 48 minutos e 47 segundos (365,2422 dias). Também é conhecido como ano trópico. A cada quatro anos, as horas extra acumuladas são reunidas no dia 29 de Fevereiro,
                   formando o
ano bissexto, ou seja, o ano com 366 dias.
Os calendários antigos baseavam-se em meses lunares (calendários lunares) ou no ano solar (calendário solar) para contagem do tempo.

Etimologia

Antes de Júlio César criar, com a ajuda do astrônomo Sosígenes, o calendário dito juliano, os romanos tinham meses lunares, que começavam em cada lua nova. No primeiro dia da lua nova, chamado dia das calendas (“calendae”), um dos pontífices convocava o povo no Capitólio para informar as celebrações religiosas daquele mês. O pontífice mencionava um por um os dias que transcorreriam até as nonas, repetindo em voz alta a palavra “calo”, eu chamo.[2] 
A partir do calendário juliano, que não era lunar, as nonas foram o quinto dia nos meses de trinta dias e o sétimo nos meses de trinta e um. De “calendae”, os romanos criaram o adjetivo “calendarius”, relativo às calendas, e o substantivo “calendarium”, com o qual designavam o livro de contas diárias e, mais tarde, o registro de todos os dias do ano.  Em nossa língua portuguesa, até o século XIII, a palavra calendas era empregada, no entanto, para denominar o primeiro dia de cada mês e calendário a lista dos dias do ano com suas correspondentes festividades religiosas. O calendário dos gregos não tinha calendas, e assim os romanos conceberam a expressão “Ad calendas graecas”, para as calendas gregas, para referir-se a algo que não iria ocorrer nunca.

Classificações

Calendários em uso na Terra podem ser os lunares, solares, luni-solares ou arbitrários. Um calendário lunar é sincronizado com o movimento da Lua; ex: calendário islâmico. m calendário solar é sincronizado com o movimento do Sol; e:  calendário persa.
calendário luni-solar é sincronizado com ambos os movimentos do Sol e da Lua;
                                  ex:  
calendário hebraico.
Calendário arbitrário não é sincronizado nem com o Sol nem com a Lua.
                                Ex: o
calendário juliano usado por astrônomos.
 Há alguns calendários que parecem ser sincronizados com o movimento de
Vênus, como o calendário egípcio; a sincronização com Vênus parece ocorrer principalmente em civilizações próximas ao equador.
Praticamente todos os sistemas de calendário utilizam uma unidade coloquialmente chamada de
ano, que se aproxima do ano tropical da Terra, ou seja, o tempo que leva um completo ciclo de estações, visando facilitar o planejamento de atividades agrícolas. Muitos calendários também usam uma unidade de tempo chamada mês baseado nas fases da Lua no céu; um calendário lunar é aquele no qual os dias são numerados dentro de cada ciclo de fases da Lua. Como o comprimento do mês lunar não se encaixa em um divisor exato dentro do ano tropical, um calendário puramente lunar rapidamente se perde dentro das estações. Os calendários lunares compensam isso adicionando um mês extra quando necessário para realinhar os meses com as estações.

Atual

No ocidente, adotou-se o calendário juliano baseado em anos : numera os dias dentro dos meses, que são mais longos que o ciclo lunar, por isso não é conveniente para seguir as fases da Lua, mas faz um trabalho melhor seguindo as estações. Infelizmente, o ano tropical da Terra não é  múltiplo exato dos dias (é de aproximadamente 365,2422 dias), então lentamente cai fora de sincronia com as estações. Por essa razão, o calendário gregoriano foi adotado, mais tarde, na maior parte do ocidente.
Por usar um sistema flexível de
ano bissexto,
                                 - pode ser ajustado para fechar com as estações como desejado.

Completude

Calendários podem definir outras unidades de tempo, como a semana, para o propósito de planejar atividades regulares que não se encaixam facilmente com meses ou anos. Calendários podem ser completos ou incompletos.
Calendários completos oferecem um modo de nomear cada dia consecutivo, o
calendário gregoriano ( em uso atualmente) é um exemplo de calendário completo.

Calendários incompletos não nomeiam cada dia consecutivo .ex: o primeiro calendário romano  não tinha nenhum modo de designar os dias dos meses de inverno que não fosse agrupar todos juntos como 'inverno'

Finalidade

Calendários podem ser pragmáticos, teóricos ou mistos.
 
calendário pragmático   baseia-se  na observação; ex: o calendário religioso islâmico.  Calendário teórico  baseia-se  em  conjunto estrito de regras; ex:  calendário hebraico. Um calendário misto combina ambos. Calendários mistos normalmente começam como calendários teóricos, mas são ajustados pragmaticamente quando algum tipo de assincronia se torna aparente; a mudança do calendário juliano para o calendário gregoriano é um exemplo, e o próprio calendário gregoriano pode ter que receber algum ajuste próximo ao ano 4000 (como foi proposto por G. Romme para o calendário revolucionário francês revisado). Houve algumas propostas para a reforma do calendário, como o calendário mundial ou calendário perpétuo. As Nações Unidas consideraram a adoção de um calendário reformado por um tempo nos anos 50, mas essas propostas perderam muito de sua popularidade.

O calendário gregoriano, como um exemplo final, é completo, solar e misto.

Calendários lunares

Ver artigo principal: Calendário lunar

Nem todos os calendários usam o ano solar como uma unidade. Um calendário lunar é aquele em que os dias são numerados dentro de cada ciclo das fases da lua. Como o comprimento do mês lunar não é nem mesmo uma fração do comprimento do ano trópico, um calendário puramente lunar rapidamente desalinha-se das estações do ano, que não variam muito perto da linha do Equador. Permanece constante, no entanto, em relação a outros fenômenos, especialmente as marés. Um exemplo é o calendário islâmico. Alexander Marshack, em uma obra controversa,[3] acreditava que as marcas em um bastão de osso (cerca de 25.000 a.C.) representavam um calendário lunar. Outros ossos marcados também podem representar calendários lunares.[4] Da mesma forma, Michael Rappenglueck acredita que as marcas de uma pintura rupestre de 15 mil anos de idade representam um calendário lunar.[5]

Calendários fiscais

Um calendário fiscal (como um calendário 4-4-5) fixa para cada mês um determinado número de semanas, para facilitar as comparações de mês para mês e de ano para ano. Janeiro sempre tem exatamente 4 semanas (de domingo a sábado), fevereiro tem quatro semanas, março tem cinco semanas etc. Note-se que este calendário vai precisar adicionar uma 53ª semana a cada 5 ou 6 anos, que pode ser adicionada a dezembro ou pode não ser, dependendo de como a organização utiliza essas datas. Existe um modo padrão internacional para fazer isso (a semana ISO). A semana ISO começa na segunda-feira e termina no domingo. A semana 1 é sempre a semana que contém 4 de janeiro no calendário gregoriano.

Calendários fiscais também são usados pelas empresas. Neste caso o ano fiscal é apenas um conjunto qualquer de 12 meses. Este conjunto de 12 meses pode começar e terminar em qualquer ponto do calendário gregoriano. É o uso mais comum dos calendários fiscais.

Curiosidades

Embora não houvesse comunicações e nem os povos antigos conhecessem outros modelos mais precisos para a contagem do tempo, foram os calendários mais simples como a lunação e os sete dias da semana que permitiram aos historiadores refazer em tempo real todos os eventos históricos.

 

 

 








Pérolas.Preciosas - Copyright © 2005-2018 - Todos os direitos reservados ao autor
Permitido imprimir, tirar cópias e colocar em boletins informativos, desde que citando a fonte.